Pintura a óleo e desenho de figura humana revelam percurso artístico de Daniel Africano

Pintura a óleo e desenho de figura humana revelam percurso artístico de Daniel Africano

 

É a primeira vez que a Biblioteca Municipal de Santa Maria da Feira acolhe uma exposição individual de Daniel Africano, cinco meses depois da sua participação na coletiva “O Ofício da Solitude”. De 3 de fevereiro a 24 de março, o artista plástico partilha “Momentos e Passagens” de duas décadas de percurso artístico numa exposição temporária de pintura a óleo e desenho de figura humana. É o reencontro do feirense, natural de Paços de Brandão, com a sua comunidade, com o público da biblioteca e com todos os que apreciam a técnica e a estética das suas obras.

 Licenciado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto em 2007, e com uma passagem pela Florence Academy of Art em 2010, o artista especializou-se em técnicas de pintura figurativa.

Aos 40 anos, Daniel Africano faz da arte o seu modo de vida. É no seu ateliê, no Porto, que executa a sua produção artística pessoal e encomendas privadas, nas áreas da pintura a óleo, retrato, ilustração, banda desenhada e concept art. No mesmo espaço, prepara as suas exposições, dá aulas particulares e mantém o contacto diário com os seus clientes.

Sobre este regresso à terra que o viu nascer, para expor pela primeira vez a sua arte na Biblioteca Municipal, Gil Ferreira, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, escreve no catálogo da exposição: «Por mais lugares que percorra com as suas criações, a terra natal do criador será sempre um singular porto de abrigo, ponto de partida e de chegada de sonhos e conquistas, palco privilegiado de encontros e reencontros, recanto de partilha de afetos com os “seus”».

Foi na sua juventude que Daniel Africano se mudou para o Porto, onde completou os seus estudos e onde sempre exerceu a sua atividade profissional, mas é em Paços de Brandão que mantém parte da família, vários amigos de infância, referências e memórias que perduram. Quase 20 anos depois, é chegada a hora do artista plástico se apresentar à sua comunidade numa casa que também é sua e onde vai expor pela primeira vez a título individual.

«Esmiuçar cada um dos 40 trabalhos expostos será, seguramente, uma desafiante viagem de (re)descoberta de duas décadas de trabalho sempre em crescendo, materializadas em obras de arte que percorrem múltiplas técnicas, estéticas e temáticas, e revelam o carisma de quem faz da arte o seu modo de vida», antecipa Gil Ferreira.

A exposição temporária vai estar patente na sala polivalente da biblioteca municipal, espaço que reúne as condições certas para expor obras de grande formato, como é o caso da mais antiga do autor – “Carga de S. Miguel”, um falso tríptico, óleo sobre tela, com 4,4m x 2,5m – que remonta a 2006, ano em que era finalista na Faculdade de Belas Artes.

As obras de Daniel Africano podem ser apreciadas de 3 de fevereiro a 24 de março, de segunda-feira a sábado, das 10h00 às 19h00, e aos domingos, das 09h30 às 12h30. A inauguração está marcada para 3 de fevereiro, sábado, às 17h00. A entrada é livre.