“É muito importante a sensibilização da comunidade para o uso consciente de antibióticos”

“É muito importante a sensibilização da comunidade para o uso consciente de antibióticos”

Joana Monteiro, médica pediatra, e Gonçalo Sarmento, médico internista do CHEDV, nos estúdios da Sintonia

No mês em que se assinala o Dia Europeu do Antibiótico e em que a União Europeia apela ao uso consciente destes fármacos para evitar a propagação de bactérias resistentes, a Rádio Sintonia dinamizou uma conversa que teve como principal objetivo sensibilizar a comunidade em geral para o uso consciente deste medicamento. Gonçalo Sarmento, médico internista, e Joana Monteiro, médica pediatra, foram os convidados especiais do programa.

Gonçalo Sarmento salienta a importância de assinalar o Dia Europeu do Antibiótico, anualmente celebrado a 18 de novembro. “É muito importante a sensibilização das pessoas. Nesta época, são mais frequentes as infeções respiratórias víricas, que são as mais transmissíveis, e que na maioria das vezes são tratadas com analgésicos, antipiréticos ou anti-histamínicos. Estas infeções não se curam nem se tratam com antibióticos“, vinca.

Joana Monteiro aponta que “mais de 90 por cento das infeções respiratórias são víricas” e, por isso mesmo, não podem ser tratadas com antibióticos, destinados a tratar infeções bacterianas.

Gonçalo Sarmento explica o que é o antibiótico e para que é utilizado.

Na área da pediatria, o leque de antibióticos é mais restrito, explica Joana Monteiro. “O uso indiscriminado ou não necessário de um antibiótico vai fazer com que os micro-organismos ganhem resistência a esse fármaco“, aponta a médica pediatra, que sublinha a importância de seguir à risca as recomendações do médico no que toca à duração do tratamento e à dosagem.

Gonçalo Sarmento alerta: “Se continuarmos a prescrever em alta dose, de forma desmedida e desenquadrada os antibióticos, podemos daqui a uns anos não ter tecnologia disponível para aplicar em bactérias resistentes“.

Joana Monteiro denota uma tendência: “Temos notado que, nos últimos anos, precisamos de doses mais altas para tratar algum tipo de infeções que antes conseguíamos tratar com doses mais baixas, como pneumonias ou otites“.

As bactérias multirresistentes podem ser um problema de saúde pública? Gonçalo Sarmento afirma que sim e aponta que, depois de dois anos em que a população esteve isolada e adotou medidas de proteção como a máscara, a imunidade está mais baixa.

A pandemia da Covid-19 trouxe consequências também nas crianças, afirma Joana Monteiro, apontando que ficam doentes mais frequentemente já que a imunidade, nos últimos dois anos, foi pouco estimulada. “Os vírus, muito frequentes no Inverno, vieram mais cedo“, diz.

As urgências do Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga têm estado sob pressão, sobretudo com a procura dos serviços por parte de muitos doentes com infeções respiratórias. Joana Monteiro apela a que a comunidade utilize a linha da Saúde 24 para efeitos de triagem e aponta alguns sinais a que os pais e encarregados de educação devem estar atentos nas crianças.

Gonçalo Sarmento também deixa conselhos à população.

Pode ouvir a entrevista a propósito do Dia Europeu do Antibiótico na íntegra aqui:

Entrevista Dia Europeu do Antibiótico: 23/11/2022