Utentes da Casa Ozanam com papel principal em espetáculo da Casa da Música

Utentes da Casa Ozanam com papel principal em espetáculo da Casa da Música

A 2ª edição do Holograma – Cultura para Todos, projeto da Casa da Música, dá palco a 30 utentes da Casa Ozanam que assumem o papel de “atores” principais no espetáculo “Felicidade: passaporte para sermos iguais a nós próprios”, logo no primeiro dia de programação, esta quinta-feira, 27 de outubro, com reposição no dia de encerramento, a 30 de outubro. Este espetáculo integra a vertente comunitária do Holograma que durante quatro dias apresenta, sempre no auditório do Cineteatro António Lamoso, 12 espetáculos gratuitos para públicos distintos.

Independentemente da sua condição física, mental ou intelectual, 30 utentes das valências Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão e Estrutura Residencial para Pessoas Idosas da Casa Ozanam, IPSS de São João de Ver, abraçaram um novo desafio e, desde julho, que estão a construir a criação musical de arte comunitária “Felicidade: passaporte para sermos iguais a nós próprios”.

É um conceito original” referiu Lilian Raquel, formadora da Casa da Música para arte comunitária e grupo escolar, “que tem vindo a ser construído mediante as características de cada um dos envolvidos e com foco nos seus gostos pessoais”, explicou. Os ensaios têm corrido, na perspetiva de Lilian Raquel, de forma muito positiva: “demonstram imenso entusiasmo e vontade em participar; entregam-se verdadeiramente,” vincou a formadora para quem este tipo de projeto assume especial importância por ser um “estímulo a diferentes níveis: intelectual, social, emocional e físico”.

Lúcia Sousa é técnica da Casa Ozanam, trabalha diariamente com aqueles utentes e acompanha-os também neste projeto, assistindo ao seu envolvimento, à sua evolução e à sua felicidade. Para a técnica, este espetáculo está a “dar-lhes espaço para explorarem áreas que desconheciam; assistimos a toda uma descoberta da sua voz, do seu corpo e têm gostado imenso”, reforçando que lhes “estimula a criatividade e lhes desafia os limites”. Lúcia Sousa não duvida que será um espetáculo muito emotivo, “até porque a apresentação à família é sempre um momento muito aguardado e sabendo que há mais público, a excitação deles aumenta”, frisou, rematando que o mais importante é que “todos eles se divirtam e usufruam ao máximo destes momentos únicos”.

“Felicidade: passaporte para sermos iguais a nós próprios” é um convite que os 30 utentes da Casa Ozanam lançam ao público em geral para uma viagem pelas inúmeras sensações, em forma de felicidade, que a música proporciona. Um espetáculo para ver, ouvir e sentir, nos dias 27 e 30 de outubro, às 17h00, no auditório do Cineteatro António Lamoso. A entrada é gratuita, mas com reserva obrigatória de bilhetes em www.bol.pt.

O projeto Holograma – Cultura para Todos, já na sua 2ª edição, abre a programação da Casa da Música a outros municípios da Área Metropolitana do Porto, indo ao encontro de novos públicos e proporcionando-lhes diferentes experiências musicais. Em Santa Maria da Feira chega já esta quinta-feira, dia 27, e prolonga-se até domingo, 30 de outubro, com espetáculos educativos, mas também com propostas para famílias, o concerto “Novos Talentos” em música não erudita, um espetáculo com “Ensemble Solistas” e a nova criação artística protagonizada pelos utentes da Casa Ozanam, de São João de Ver.

Consulte o programa completo do Holograma – Cultura para Todos em Santa Maria da Feira, no portal do município (www.cm-feira.pt).