“Estamos na final para tentar colocar este clube no lugar onde merece”

“Estamos na final para tentar colocar este clube no lugar onde merece”

União de Lamas vai à final com o Alvarenga e promete “lutar com unhas e dentes” para cumprir o sonho da subida aos nacionais. Sonho do Canedo chegou ao fim, depois de campeonato atípico onde a turma de Miguel Rapinha mostrou a sua “qualidade”.

União de Lamas vai disputar a final com o Alvarenga, depois de vencer o Canedo em Oliveira de Azeméis. Foto: União de Lamas

O União de Lamas venceu este domingo por 2-0 o Canedo e carimbou a passagem à final da prova da Divisão de Elite, onde vai defrontar o Alvarenga, a única equipa que esta época impôs uma derrota aos unionistas. O técnico lamacense, Luís Miguel Martins, diz que vão lutar “com unhas e dentes” pelo título de campeão e pela tão ansiada subida aos campeonatos nacionais.

Numa análise à partida aos microfones da Sintonia, Luís Miguel Martins aponta que “o Lamas tem sido dominador nos jogos” e a partida frente ao Canedo “não fugiu à regra”. Ultrapassada a meia-final, o timoneiro já pensa no embate com o Alvarenga e garante que os unionistas vão “com vontade de disputar os três pontos” e de “trazer a taça” para Santa Maria de Lamas.

Declarações do técnico do União de Lamas, Luís Miguel Martins

O capitão da equipa lamacense, Joel, realça que esta foi uma vitória “difícil” e que acabou, de certa forma, por ser “facilitada com a expulsão” do lado do Canedo, aos 12 minutos. “Estamos na final para tentar colocar este clube no lugar onde merece”, destacou o jogador em entrevista à Sintonia.

Joel, capitão do União de Lamas, em entrevista à Sintonia

Para o presidente do clube, Duarte Martins, os “adeptos provaram que o União de Lamas anda a mais nesta distrital” e o dirigente espera, no próximo domingo, frente ao Alvarenga, concretizar o sonho da subida.

Duarte Martins, presidente do União de Lamas, em entrevista à Sintonia

No próximo domingo o União de Lamas defronta o Alvarenga na final da prova da Divisão de Elite.

“Equipa foi digna até ao final dos 90 minutos”

A frase pertence ao técnico adjunto do Canedo, Porto, que fez a análise à partida frente ao União de Lamas. A expulsão, aos 12 minutos, condicionou muito a partida, reconhece o treinador, que realça o espírito dos comandados de Miguel Rapinha durante os 90 minutos. Porto faz ainda o balanço deste campeonato aos microfones da Sintonia. “Num grupo dificílimo mostrámos a nossa qualidade e superioridade em casa e fora. As gentes de Canedo têm de estar muito orgulhosas”, realçou o adjunto, que congratulou o União de Lamas pela passagem à final.

Porto, técnico adjunto do Canedo, em entrevista à Sintonia

Ouvido pela Sintonia, o jogador do Canedo, Tó Frangolho, reconheceu que a “má entrada do Canedo no jogo” “foi inglória”. Ainda assim, o atleta destacou o “orgulho” no grupo de trabalho.

Tó Frangolho, jogador do Canedo, em entrevista à Sintonia

O Canedo vai agora disputar o terceiro lugar com o Estarreja. O jogo será no próximo sábado.