Antigas glórias do Lusitânia de Lourosa reúnem-se em convívio para recordar velhos tempos: “Vamos fazer uma festa bonita”

Antigas glórias do Lusitânia de Lourosa reúnem-se em convívio para recordar velhos tempos: “Vamos fazer uma festa bonita”

Américo Teixeira, António Ramos, Domingos Castro e Carlos Dias nos estúdios da Sintonia

O convívio está agendado para este sábado e perspetivam-se momentos de muita emoção e partilha de muitas memórias entre antigos jogadores do Lusitânia de Lourosa. O eterno capitão, Ramos, acredita que será “uma festa muito bonita e merecida”, dedicada a antigas glórias que ajudaram a escrever a história do emblema.

A Sintonia abriu as portas a antigas glórias do Lusitânia de Lourosa que, no próximo sábado, dia 26 de novembro, realizam um almoço convívio onde pretendem reunir gerações de jogadores que passaram pelo clube. A iniciativa conta com o apoio da Junta de Freguesia de Lourosa e do Lusitânia de Lourosa e vai realizar-se nas piscinas de Lourosa. O ponto de encontro, afirma a comissão organizadora, será no estádio do Lourosa, pelas 10h30. Todas as antigas glórias estão convidadas a comparecer e a recordar épocas de ouro, como é o caso da temporada 1972/1973, em que o clube conquistou o título de campeão nacional da III Divisão.

Carlos Dias, aos microfones da Sintonia, explica como surgiu a iniciativa, que conta com o apoio do clube e da junta de freguesia.

Castro afirma que reunir diferentes gerações será “uma alegria enorme” e lembra: “Foram jogadores que deram muito ao clube, tanto os mais novos como os mais velhos, e que ainda hoje sentem o clube de forma especial”.

O capitão Ramos sublinha que esta é “uma iniciativa feliz”. “Vamos fazer uma festa bonita, porque merecemos por aquilo que fizemos pelo clube”, atesta a antiga glória.

Américo Teixeira sublinha a importância deste convívio e prevê muitos abraços sentidos no próximo sábado. “Ainda há dias lamentamos a morte do Inglês, há outros que também já partiram e espero que isto seja o início de coisas mais bonitas que possam vir a acontecer no seio do Lourosa“, antevê o ex-jogador, lembrando que o clube celebra o centenário dentro de dois anos.

“Era essa a grande mística do Lourosa, a amizade”

Nos estúdios da Sintonia, as antigas glórias abordaram alguns dos momentos mais marcantes nas suas passagens pelo Lourosa. Américo Teixeira destaca o espírito de família que viveu no seio da equipa. “Os jogadores veem-se mais vezes do que à própria família. Quando dizemos que os jogadores de futebol são uma família, é verdade e quando isto se transporta para dentro de campo, é aí que as equipas se tornam praticamente imbatíveis. Era essa a grande mística do Lourosa, a amizade”, recorda.

Ramos recorda a chegada ao clube e afirma que vestir as cores do Lourosa foi “um passo de gigante“.

Castro fala da ligação ao Lourosa e realça: “Nunca vi uma equipa a correr tanto”.

“O Lourosa, para mim, foi um clube especial naquela época”, afirma Carlos Dias, que espera rever no convívio pessoas que não vê há várias décadas e recordar momentos de grande emoção. “Lutamos juntos e sofremos juntos“, sublinha.

Momentos marcantes no Lourosa? Américo Teixeira elege golo de Ramos que deu a vitória ao Lourosa num jogo frente ao Gil Vicente.

Américo Teixeira recorda alguns nomes que deixaram a sua marca no Lusitânia de Lourosa.

Na reta final da entrevista, as antigas glórias relembram a importância do convívio. “É um dia especial, é um dia de lusitanismo, de mística, de encontro, de amigos que não se veem há dezenas de anos. É imperdível”, realça.

Castro acredita que convívio poderá ser o pontapé de saída para a preparação das comemorações do centenário.

O capitão deixa a mensagem: “Quero estar com os meus amigos, espero que eles apareçam. Quanto ao futuro, quero que o nosso clube seja muito melhor do que tem sido. Todos juntos vamos conseguir alcançar os nossos objetivos”, afirma.

Américo Teixeira reforça o convite para o encontro, este sábado.

Pode ouvir a entrevista na íntegra aqui.

Entrevista antigas glórias do Lusitânia de Lourosa: 23/11/2022