Nathalie Santos: “É extremamente importante falar sobre a doença mental” para quebrar o preconceito

Nathalie Santos: “É extremamente importante falar sobre a doença mental” para quebrar o preconceito

Nathalie Santos, artista de Santa Maria da Feira, foi diagnosticada a 20 de dezembro de 2009 com distúrbio bipolar. No mês em que assinalou o Dia Mundial da Saúde Mental – anualmente comemorado a 10 de outubro – Nathalie Santos partilhou a sua experiência de vida e a forma como convive com a doença, quase 12 anos depois do diagnóstico.

Entre recaídas, internamentos e recuperações, Nathalie Santos conta, na primeira pessoa, como é sofrer de bipolaridade e fala da importância do apoio de familiares e amigos para que o doente consiga encontrar o seu estado de equilíbrio. A feirense defende, aos microfones da Sintonia, que o caminho para quebrar o estigma e o preconceito associado à doença mental passa, precisamente, por falar abertamente sobre o tema.

A artista, licenciada em Escultura na Escola de Belas Artes da Faculdade do Porto estreou, recentemente, a exposição ‘Amar em Dois Polos’, a primeira mostra em que, através da pintura e ilustração, reflete sobre a bipolaridade e sensibiliza a comunidade para a doença mental. “Trabalhar em artes é um privilégio. Nunca pensei, quando fui estudar artes e quando construí a minha vida em torno das artes, que me pudesse trazer um privilégio. Posso controlar o meu tempo de dedicação, os meus horários, a minha criatividade e exprimir-me ao máximo“, destaca, apontando que, para si, a arte funciona como uma “terapia“.

Pode ouvir a entrevista na íntegra aqui.

Entrevista com Nathalie Santos – 21/10/2021